A compreensão acerca do funcionamento do Sistema Nervoso se faz cada vez mais necessária nos campos de atuação em saúde, educação e assistência. Os avanços crescentes nos estudos sobre o funcionamento cerebral tem contribuído de maneira relevante e significativa no entendimento do desenvolvimento humano, dos processos cognitivos e da modulação do comportamento, e consequentemente, vem se tornando uma ferramenta de grande valia aos profissionais que trabalham com a população infanto-juvenil, com adultos e idosos, em diferentes contextos. Sendo assim, a atualização e o aprimoramento dos conhecimentos sobre este campo de estudo em um curso de pós-graduação permite ao profissional o desenvolvimento de competências para o trabalho em pesquisa, diagnóstico, intervenção e promoção de propostas terapêuticas multi e interdisciplinares.

A Terapia Cognitivo-Comportamental tem se mostrado, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma das abordagens mais modernas e eficazes no tratamento de diversos transtornos psicológicos. Também conhecida como TCC, a Terapia Cognitivo-Comportamental se caracteriza por ser objetiva e basear-se em evidências empíricas. O tratamento na TCC costuma ser breve e diretivo e busca a revisão, avaliação e modificação de crenças e comportamentos mal adaptativos.

A evolução da Terapia Cognitivo-Comportamental ao longo dos anos tem possibilitado a ampliação de sua aplicação em diferentes contextos. Por valorizar a importância de práticas integrativas, é possível, cada vez mais estabelecer diálogos com outros campos do saber psicológico, como as neurociências, por exemplo. A procura por profissionais capacitados nesta abordagem tem crescido significativamente, sobretudo porque se trata de uma psicoterapia cujo método se baseia em evidências empíricas. Portanto, uma pós-graduação nesta área atende à crescente demanda de mercado por profissionais habilitados em competências essenciais da prática de um psicoterapeuta, como realizar avaliações, diagnósticos e desenvolver intervenções.